Arq. Conceitos

No meu trabalho sinto que muitas vezes a linguagem pode ser uma barreira por isso, decidi criar este conteúdo onde explico, de forma clara e acessível, o que querem dizer certas palavras, certos termos, certos conceitos, do nosso arquitetez. Para que nunca mais te sintas perdido ou desorientado numa conversa, seja com arquitetos, engenheiros ou qualquer outro profissional da construção, espreita este tema.

SIMPLEX ou DL10/2024: alterações ao RJUE/RGEU/Código Civil e grandes PROMESSAS! Serão concretizáveis? (PARTE 2)

Esta é a lei que manda nas leis, a legislação que vem alterar muitas outras anteriores a si e por isso mesmo, não é possível falar de tudo num vídeo apenas. Nesta segunda parte, falo-te das alterações ao R.G.E.U. tão pedidas por todos, da alteração que ninguém esperava, ao Código Civil e de fim decretado de alguns documentos, que vão levantar muitas questões na prática diária. Deixei para o fim as promessas utópicas do SIMPLEX, sim, utópicas não pela impossibilidade de concretizar, mas pelos prazos mágicos propostos para tudo isto acontecer. Termino com uma reflexão muito importante e com um pedido a todos vocês.

SIMPLEX ou DL 10/2024: a lei que promete simplificar os licenciamentos. Será que cumpre? Ora vejamos! (PARTE 1)

Esta é a lei mais falada no panorama construtivos português da última década! Promete simplificar os licenciamentos, reduzir os custos na criação de habitação, assim como, os tempos de concretização dos projetos e ser a solução para muitos dos problemas da “crise da habitação”. Mas será que é um verdadeiro SIMPLEX ou um COMPLEX. Nesta 1ª parte falo das obras que passaram a estar isentas de controlo prévio, da nova forma de contagem dos prazos e do bombástico deferimento tácito.

SÓTÃO: o que é verdadeiramente este conceito, as suas características marcantes e exemplos práticos.

De certeza que já ouviste falar de sótão, de águas-furtadas e até quem sabe do desvão da cobertura. Na verdade, todos estes conceitos se referem ao mesmo espaço, o espaço abaixo da cobertura. Neste vídeo falo-te das suas características marcantes, destaco as palavras-chave das suas definições e deixo-te o exemplo de um PDM’s que faz referência direta a este conceito. Até porque, o sótão é mais um conceito que não está definido na legislação geral e por isso mesmo, levanta dúvidas.

CAVE: o que é verdadeiramente este conceito, as suas características marcantes e exemplos práticos.

Um conceito que toda a gente conhece e reconhece, mas será que sabe o que verdadeiramente caracteriza um espaço como cave? Neste vídeo falo-te das suas características marcantes, destaco as palavras-chave das suas definições, distingo CAVE de SEMICAVE e deixo-te alguns exemplos de PDM’s que fazem referência direta a este conceito. Este conceito não tem uma “definição universal”, é dúbio e muitas vezes as Câmaras Municipais vêm clarificar nos seus planos, por isso, é importante que estejas atento.

PÉ-DIREITO: um conceito arquitetónico base, que nada tem a ver com anatomia humana. Descobre-o aqui!

Muitas vezes as pessoas ouvem esta expressão do “pé-direito” e associam à altura de piso a piso. Pois é, isto são conceitos diferentes, que se referem a alturas diferentes e neste vídeo explico tudo. Para além de clarificar o conceito, trago algumas regras associadas a esta altura e esclareço também algumas dúvidas comuns. No final, respondo à mais difícil de todas, qual a altura ideal do pé-direito? Para descobrires as respostas a todos estes tópicos tens mesmo de ver o vídeo.

ÁREA BRUTA de CONSTRUÇÃO é o somatório de todas as áreas. O conceito mais abrangente e diversificado.

É preciso ter muita atenção quando se fala desta área. De uma forma resumida, o que ela contabiliza é o somatório de todas as áreas. Parece simples não parece? Mas não é! Neste vídeo apresento-te os vários descritivos associados a este conceito, os seus denominadores comuns e as suas nuances, que fazem a diferença na contabilização. No final, o importante é que percebas o conceito na essência e consigas, agora sim, compreender todas as áreas que estão registadas na Caderneta Predial da tua casa.

ÁREA BRUTA PRIVATIVA e DEPENDENTE: os conceitos que as Finanças usam para o cálculo do IMI.

Em todas as Cadernetas Prediais as áreas das nossas casas são divididas em duas categorias: Área Bruta PRIVATIVA e Área Bruta DEPEDENTE. Neste vídeo apresento as definições técnicas, clarifico o que estes dois conceitos contabilizam, quais os espaços que deves considerar em cada uma das áreas, para que também tu sejas capaz de verificar a documentação da tua casa. Por isso, se alguma vez leste um documento da tua casa, viste o anúncio de um imóvel e ficaste com dúvidas, este vídeo vai ajudar a esclarecer-te de uma vez por todas!

ÁREA DE IMPLANTAÇÃO: o que contabiliza este conceito? A área em contacto com o solo.

Este conceito é muito importante para as Finanças, para o cálculo do IMI, para as Câmaras Municipais, para impor limites às construções e para o Loteamentos, que trazem, por regra, esta área delimitada. Ou seja, é um conceito muito importante para ti que o compreendas e possas, de forma autónoma, fazer a sua verificação. Neste vídeo apresento-te as definições técnicas, o que é claro e inquestionável, o que não é tão claro e reforço os tópicos chave.

AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO: o que é, para que serve e como posso pedir. O documento da CÂMARA.

Este documento permite que a Câmara Municipal verifique a conformidade entre a obra e o projeto aprovado. É uma verificação última, uma validação final, que te permite utilizar a tua casa! Sem a autorização de utilização, não temos uma CASA, temos uma OBRA. Por isso é tão importante, no final de um procedimento de controlo prévio, pedir este documento. Neste vídeo conto-te a origem deste documento, o seu propósito, como o pedir e todos os obstáculos que podes encontrar nesse processo.

CERTIFICADO ENERGÉTICO: o que é, o que nos diz, para que serve e onde pedir. O documento da ADENE.

Este é o documento que avalia e classifica o DESEMPENHO ENERGÉTICO dos edifícios e nos dá a sua CLASSIFICAÇÃO ENERGÉTICA. Sem ele não podes comercializar um imóvel, nem deves! Porque só este documento te permite avaliar a qualidade energética do “produto” que queres comprar e sim, a casa também é um produto! No final, deixo-te uma dica, em relação às isenções e um pequeno resumo onde ressalvo o porquê desta informação ser tão importante para ti, quer estejas a pensar comprar casa ou até a fazer a tua casa própria.